Câncer de pele

No Brasil, o câncer mais frequente é o de pecarcinoma-basocelular-300x221.jpgle. A radiação ultravioleta é responsável por mais de 90% dos casos e está presente nos raios solares e nas cabines de bronzeamento artificial. Os tumores de pele mais comuns são: carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e o melanoma, que é o mais perigoso de todos.

Quais são os sinais de perigo?

Assimetria: dividindo a pinta ao meio, uma metade é diferente da outra;
Bordas irregulares: quando as margens da lesão forem recortadas ou não muito bem definidas;
Várias cores: quando uma lesão apresentar diferentes cores: marrom, vermelha, rosada, preta, branca, azulada;
Lesões maiores de 6 mm;
Feridas que não cicatrizam ou cicatrizam e voltam a abrir também são suspeitas, além de lesões de superfície elevada e brilhante, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida;
Pintas” pretas ou acastanhadas que mudam sua cor, textura, tornam-se irregulares nas suas bordas e aumentam de tamanho;
“Manchas” ou feridas que apresentam coceira, dor, crostas, erosões ou sangramento.

Dermatoscopia e Mapeamento de pintasdermatoscopia-mapeamento-300x121

É considerado o exame mais confiável e seguro de acompanhar as pintas a fim de detectar precocemente qualquer mínima alteração de tamanho, cor ou formato das pintas existentes, além do surgimento de novas pintas. É útil particularmente na prevenção e detecção precoce do melanoma, o câncer de pele mais perigoso.
Este exame é feito por dermatologista especialista na técnica, que através de fotografias dermatoscópicas, analisa detalhadamente no computador as características das pintas e eventuais modificações ao longo do tempo.

Prevenção e tratamento do câncer de pele

A prevenção é feita através da proteção solar, do auto-exame (exame feito pelo próprio paciente, olhando todas as partes do corpo) e do exame feito pelo dermatologista, que deve examinar a pele regularmente a cada 6 meses, e, se necessário, indicará o exame de dermatoscopia para as pintas.

O tratamento do câncer de pele é específico para cada caso. Pode incluir desde cremes de uso local, crioterapia (uma espécie de gelo seco em spray), cirurgia ou terapia fotodinâmica.
A terapia fotodinâmica é um tratamento, baseado na aplicação de um creme que penetra no tumor e absorve uma luz, que provocará a destruição do tumor. A aplicação é feita na clínica e é indicada para tumores e lesões pré-cancerosas (como as queratoses actínicas, por exemplo), com um bom resultado estético.