O ser humano tem, naturalmente, uma renovação constante dos cabelos, podendo perder até 100 fios por dia. Mas, quando os cabelos caem demais e começam a surgir “entradas” ou falhas na cabeça, isso pode ser sinal de algum tipo de alopecia – nome que a Medicina dá à queda excessiva de cabelos. 

 

A alopecia androgenética, ou calvície, é um dos tipos mais comuns, afetando principalmente homens, mas também mulheres. Desregulação hormonal e herança genética são os fatores relacionados à calvície, que pode surgir bem precocentemente. 

 

Os tratamentos capilares atuais utilizam tecnologias modernas para evitar a queda e também para estimular o crescimento e o fortalecimento dos fios. Assim, embora seja recomendado que o paciente com calvície comece a tratá-la o quanto antes, estágios intermediários de calvície também podem ter uma melhora significativa.

 

Entre os tratamentos indicados para queda de cabelos, estão as terapias com luz e laser. O LED é atualmente uma das tecnologias mais eficazes e seguras oferecidas pela Dermatologia, pois atua diretamente na raiz dos fios. A luz estimula o metabolismo natural das células, eleva a síntese de proteínas e a absorção de nutrientes e promove o crescimento de pelos. Indicado para alopecia androgenética em estágio inicial ou intermediário, o LED também é usado para tratar a alopecia areata, doença inflamatória que provoca a perda de cabelos em tufos. Além disso, o laser Erbio, exclusivo da tecnologia Fotona, também pode ser usado para reduzir consideravelmente a queda de cabelos e estimular o crescimento dos fios.

 

Outro procedimento indicado para vários tipos de alopecia, incluindo a androgenética, é a MMP – sigla para microinfusão de medicamentos na pele. Um aparelho com microagulhas aplica vitaminas, minoxidil, finasteride e outras substâncias que estimulam o crescimento dos cabelos e diminuem sua queda. O tratamento permite a administração controlada de medicamentos diretamente no couro cabeludo, com mínimo desconforto para o paciente e total segurança.