Especial mês das crianças: Cuidados essenciais para a pele infantil
 

A pele é o maior órgão do corpo humano, responsável por sua proteção contra agentes externos (como bactérias e raios solares) e pela regulação da temperatura corporal. Por isso, é muito importante que a pele seja protegida desde o nascimento.

“Os pais e responsáveis devem estar atentos à saúde da pele das crianças. Esse cuidado resulta em uma saúde plena durante essa importante etapa da vida, que também é decisiva para garantir uma pele bonita e saudável no futuro”, afirma a dra. Natalia Cymrot, dermatologista formada pela Universidade de São Paulo (USP) que atua na capital paulista.

Confira nosso guia básico de cuidados com a pele infantil.
 

  • A higiene adequada é o primeiro passo para uma pele saudável. Em bebês e crianças pequenas, utilize água morna e sabonete neutro, de preferência líquido e sem perfume. Mesmo em crianças maiores (até 12 anos), é recomendado utilizar sabonetes específicos para o público infantil, ainda que com cheiro ou em barra.
  • Para lavar os cabelos do bebê, não é necessário utilizar xampu e condicionador: basta lavá-los com o mesmo sabonete líquido neutro utilizado no corpo. Já para crianças até 12 anos, o ideal é utilizar xampus e condicionadores específicos para o público infantil (hoje existem, inclusive, opções infantis para fios que precisam de mais hidratação).
  • Proteja a pele das assaduras, principalmente em bebês e crianças que usam fralda. Secar bem a região da virilha e do bumbum é fundamental, e pomadas antiassadura podem ser usadas para ajudar a pele se regenerar.
  • A hidratação não é obrigatória, principalmente em bebês e crianças pequenas. Mas, se a pele apresentar ressecamento, é importante utilizar um creme hidratante infantil, de preferência sem perfume. Em caso de ressecamento extremo, procure o dermatologista: pode ser um sinal de algum problema de pele. A dermatite atópica, por exemplo, é uma doença crônica que resseca a pele, podendo ocasionar coceira e lesões cutâneas.
  • Proteger a pele dos raios ultravioletas é fundamental. Até os 6 meses de idade, não é recomendado o uso de filtro solar, então procure evitar sair com o bebê em horários de sol forte e vestir roupinhas e chapéus que bloqueiem a radiação. A partir dos 6 meses, o protetor solar já pode ser aplicado; existem opções específicas para crianças, hipoalergênicas e com alto fator de proteção. Na dúvida sobre qual filtro solar comprar, consulte o dermatologista.
  • Produtos para adultos devem ser evitados em crianças menores de 12 anos. Isso vale para cremes, loções, maquiagens, demaquilantes, esmaltes, filtros solares, xampus, condicionadores, etc. Os componentes desses produtos podem agredir a pele infantil e causar alergias.
  • Fique atento a alterações na pele das crianças. Entre as doenças dermatológicas infantis mais frequentes, estão: molusco contagioso, doença causada por vírus cujo principal sintoma são bolinhas na pele; infecções bacterianas (existem vários tipos, como impetigo e furúnculo); dermatite seborreica, doença não contagiosa que afeta couro cabeludo, orelhas, face, peito, costas, axilas e virilha; e dermatite atópica, doença genética que provoca coceira e lesões na pele. Caso note alguma alteração, consulte o dermatologista.
  • Nunca lance mão de soluções caseiras ou medicamentos sem prescrição médica, principalmente nas crianças. Esse tipo de solução pode causar ainda mais danos à pele. Utilize apenas medicamentos e produtos cosméticos indicados pelo dermatologista.